“Todo texto
é um pretexto
pra fugir de si.”
Poeticências  (via o-teimoso)

“Mulheres nasceram pra sofrer; não é de surpreender que peçam constantes declarações de amor.”
Charles Bukowski.  (via thiaramacedo)

temporal


fazia tempo
que eu não me sentia
tão sentimental

Paulo Leminski.  (via o-teimoso)

“Nem sempre haverá reciprocidade.”
Uê   (via o-teimoso)

Se eu fosse feita de ferro, digamos que estaria enferrujada.”
Thiara Macedo (sdpm)

“Só me fala que vai me aturar. Aturar todas as minhas crises de ciúmes, meus momentos - não tão raros - sem paciência, as minhas desconfianças e meus surtos de insegurança. Aturar meus dramas, minhas teimosias, minha arrogância, minhas piadas sem graça e o meu não-romantismo. Aturar todos os meus tipos de provocação, meu amor por outras pessoas, minhas mudanças inconstantes de humor e de temperamento. Aturar minha mente confusa, minha memória irritante, minha sinceridade exagerada. Aturar quando eu falar que te amo mais e também quando eu não falar que te amo. Aturar e segurar tudo não por mim, nem por você… Mas por nós.”
Tati Bernardi (via tatibernardicitou)

“Daqui a 50 anos eu ainda vou saber seu nome e vou me lembrar de todas as vezes que você me fez sorrir.”
Caio Fernando Abreu. (via cfa-tatibernardi)

“É garçom, não entendeu errado não. Um amor sem gelo, copo triplo, bem misturado, mas sem gelo! Certas coisas prefiro quentes, o amor é uma delas.”
Caio Fernando Abreu. (via cfa-tatibernardi)

“Quando ele sorri, doce, imagino meus filhos.”
Tati Bernardi. (via cfa-tatibernardi)

“Essa vida viu, Zé. Pode ser boa que é uma coisa. Já chorei muito, já doeu muito esse coração. Mas agora tô, ó, tá vendo? De pedra. Nem pena do mundo eu consigo mais sentir. Minha pureza era linda, Zé, mas ninguém entendia ela, ninguém acolhia ela. Todo mundo só abusava dela. Agora ninguém mais abusa da minha alma pelo simples fato de que eu não tenho mais alma nenhuma. Já era, Zé. É isso que chamam de ser esperto? Nossa, então eu sou uma ninja. Bate aqui no meu peito, Zé? Sentiu o barulho de granito? Quebrou o braço, Zé? Desculpa!”
Tati Bernardi. (via cfa-tatibernardi)